Professor da FAME fala sobre Dia Mundial Do Lúpos

13/05/2022

Comemorado no dia 10 de maio, o Dia Mundial do Lúpus chama a atenção para o impacto que a doença causa na qualidade de vida das pessoas diagnosticadas, enfocando a necessidade de melhorar os serviços de saúde para o paciente; ampliar as pesquisas e estudos sobre suas causas e cura; além da mostrar a importância de se diagnosticar e tratar precocemente a doença.

Convidamos o Professor da Faculdade de Medicina de Barbacena (FAME) e médico Reumatologista, Dr. Filipe Carvalho de Paula, para explicar um pouco mais sobre essa doença, que já atinge mais de cinco milhões de pessoas no mundo.

O que é o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES ou apenas Lúpus)? É uma doença inflamatória sistêmica, ou seja, qualquer parte do corpo pode inflamar, de origem autoimune, o que significa que você passa a produzir anticorpos que atacam outras partes do corpo causando inflamação e dor. Essa doença é marcada por períodos de remissão e outros de atividade. É uma doença que tem tratamento, porém não tem cura.

Quais são os sintomas do Lúpus? Por ser uma doença inflamatória sistêmica, que acomete qualquer parte do corpo, a sintomatologia é muito vasta. Pode acometer a pele, causando lesões avermelhadas nas maças do rosto (tipo asa de borboleta), pode dar certa foto sensibilidade, feridas na pele, pode causar alopécias (quedas de cabelo), pode causar feridas na boca e órgãos genitais, as mãos e pés podem ficar roxos. Quando ataca o coração pode inflamar o músculo cardíaco; também pode inflamar a membrana que recobre o pulmão; e causar inflamação nos rins ocasionando um quadro de nefrite. Se o Lúpus acomete muito a corrente sanguínea causa quadros de anemia. E causa também muita dor nas articulações. Portanto, é uma sintomatologia ampla que varia de um paciente para outro.

Como se chega ao diagnóstico de Lúpus num paciente? O diagnóstico de Lúpus é feito através da associação de um conjunto de sinais e sintomas, acompanhados de exames laboratoriais. Não existe um exame específico que comprove a doença. Então o que fazemos é associar vários sintomas, o que chamamos de clínica sugestiva, e solicitamos alguns exames de sangue com o FAN, Hemograma, Anti-DNA, entre outros. É o conjunto de sintomas e exames que fecham o diagnóstico de Lúpus.

Como é conduzido o tratamento? A base do tratamento de Lúpus é a hidroxicloroquina, que é um medicamento que reduz a reativação da doença e diminui a mortalidade por Lúpus. Mas outras medicações podem ser necessárias ao longo do tratamento e devem ser voltadas para a sintomatologia de cada paciente. Portanto, pacientes com um quadro de artrite deve introduzir uma medicação para artrite; alterações dermatológicas com outro tipo de remédios específicos. O tratamento também consiste na fotoproteção (uso de protetor solar), atividade física e hábitos de vida mais saudáveis.

Existem formas de se prevenir a doença? O Lúpus é causado por uma associação entre fatores genéticos, fatores ambientais e fatores hormonais, então, uma maneira de prevenir é mexendo nesses fatores. Por exemplo, diminuir ou cessar o tabagismo é importante; ter uma prática de vida saudável que inclua alimentação balanceada e atividades físicas regulares. Os fatores genéticos e os fatores hormonais a gente não consegue alterar, então consideramos como uma forma de prevenção a prática de uma vida saudável.

Deixe seu comentário

Artigos relacionados

Praça Presidente Antonio Carlos - nº08 - Barbacena/MG CEP 36202-336

(32) 3339-2950

fame@funjob.edu.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs